03/06/2016

A história do distrito de Barão Geraldo, em Campinas


O distrito de Barão Geraldo é um dos mais importantes de Campinas. Ele pode ser resumido em dois conceitos: natureza e tecnologia. Nas terras de antigas fazendas nasceu um dos mais destacados polos de tecnologia do país, cujo epicentro é a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

No entorno da Unicamp estão também o campus 1 da Pontifícia Universidade Católica (PUC), o campus da Facamp (Faculdades de Campinas), o CPqD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações), o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, entre outras instituições. Além disso, Barão Geraldo também se destaca como um polo hospitalar, com destaque para o Hospital das Clínicas da Unicamp, o Centro Médico de Campinas e o Centro Infantil Boldrini (referência mundial no tratamento do câncer infantil), entre outros centros.

O distrito está localizado a 12 km do centro de Campinas, ligado pela rodovia Professor Zeferino Vaz (nome do fundador e primeiro reitor da Unicamp). Ela é popularmente conhecida como "tapetão" pelos campineiros.

No passado, o solo fértil da região fez com que ela fosse ocupada sobretudo por fazendas. O nome é uma homenagem ao Barão Geraldo de Resende, antigo proprietário da Fazenda Santa Genebra, que no passado se estendia por grande parte das atuais áreas do distrito.

A região começou a ser mais ocupada no começo do século XX, quando imigrantes portugueses, libaneses e italianos, segundo o historiador Warney Smith, compraram terras no entorno da antiga Estação Barão Geraldo, parada da Estrada de Ferro Funilense (que ligava Campinas à Fazenda Ester, onde hoje está o município de Cosmópolis), que não existe mais. Esse bairro rural que nascia estava situado entre duas grandes fazendas de café e cana (a Santa Genebra e a Rio das Pedras).

Com a industrialização e o crescimento das cidades, em torno a este incipiente núcleo de casas surgiram pequenos comércios e loteamentos. O número de moradores foi crescendo, com um maior número de famílias se formando e se instalando no local. A iluminação pública chegou em 1949. O passo seguinte foi a mudança do status da região, definida como distrito de Campinas em 1953. Em 1958 foi asfaltada a Estrada dos Fazendeiros (atual Estrada da Rhodia). Mas o grande impulso ao desenvolvimento local ocorreu em 1966, data de inauguração da Unicamp, que trouxe em seu rastro uma profunda transformação econômica e social em Barão Geraldo.

Atualmente, Barão Geraldo é um local de chácaras, condomínios e bairros de alto padrão, plantações de cana de açúcar e nele está a maior mata urbana de Campinas, a Mata Santa Genebra. Em virtude da localização da Unicamp, o bairro abriga uma ampla comunidade universitária, com pesquisadores, professores, intelectuais e alunos ligados às universidades. Ele reúne também muitos profissionais de fora de Campinas, que se instalaram no distrito por razões de trabalho ou estudo. Em resumo, um lugar com muita natureza e com uma variada população ligada aos polos de pesquisa e ensino.

Imagem: Canteiro central da Avenida Atílio Martini / Fasouzafreitas CC BY 3.0
(Fonte: Blog Provectum Imóveis)
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários: