03/06/2016

O que é mais caro no valor do condomínio?


O valor mensal que se paga pelo condomínio depende de vários fatores, que podem variar mesmo em edifícios situados em um mesmo bairro. Aspectos como o número de moradores, a quantidade de funcionários e as instalações de lazer são os que mais influem em seu valor. Como saber se você paga muito caro? Confira os principais pontos a seguir.

Sem dúvida, o aspecto que mais influi no valor do condomínio é o salário dos funcionários. A folha de pagamento, contando também os encargos trabalhistas, supera facilmente mais da metade dos custos fixos do condomínio. E quanto menor o rateio entre o número de moradores, maior é este custo.

A folha salarial supera itens como, por exemplo, as contas de água e de energia. Estes também são fatores que têm um peso considerável. Em grau um pouco menor entram as despesas com a manutenção do condomínio, que incluem a conservação regular de elevadores, piscinas e salões de festa, revisões nos para-raios, entre outras.

Na conta das despesas fixas também entram os gastos com a administração do condomínio. Nele são contadas as despesas com a empresa administradora, a isenção do síndico, os gastos com bancos e cartórios etc.

Ao contrário do que se imagina, as áreas de lazer somente terão alto impacto no valor do condomínio caso o rateio seja pequeno. Para conjuntos com muitos moradores, o custo cai bastante. Piscinas, quadras e academias não geram despesas de manutenção muito elevadas (a água da piscina, por exemplo, é trocada com uma frequência baixa). E esses itens têm a vantagem de valorizar o imóvel, pois são muito procurados, especialmente por famílias com crianças, sem gerar gastos muito altos. Logicamente, nos condomínios do tipo clube, que têm inúmeras opções de lazer, esse valor vai acabar pesando mais.

Por fim, entram na conta os gastos eventuais, que são aqueles imprevistos. Como exemplo, um portão da garagem quebrado, uma reforma de uma área comum, o conserto de um elevador, a limpeza da fachada etc. Despesas gerais e menores completam a lista, como materiais de limpeza, gastos com documentos, entre outros.

(Fonte: Blog Provectum Imóveis)
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários: