27/12/2016

Como funciona o seguro fiança?


Quer alugar um imóvel? A legislação brasileira prevê que um destes três tipos de garantias seja apresentado por um candidato a inquilino: um depósito-caução, um fiador ou um seguro fiança.

Destas três possibilidades, o seguro fiança é escolhido nos casos em que a pessoa não dispõe de recursos para um depósito-caução ou não possui (ou não quer) contar com algum parente, familiar ou amigo que se ofereça a ser o fiador do negócio.

No caso do seguro fiança, antes de mais nada é preciso checar se o locador está disposto a aceitá-lo como uma forma de garantia. Depois, é preciso procurar uma seguradora para checar qual a documentação e os custos de um seguro fiança.

Como ele funciona? 


O seguro fiança garante ao locador (proprietário) o pagamento das mensalidades em caso de inadimplência do inquilino. Este, por sua vez, precisa arcar com o valor do seguro, cujo pagamento, em geral, pode ser parcelado mês a mês.

A cobertura do seguro fiança garante ao locador não somente o pagamento das mensalidades como também o das multas que cabem ao inquilino inadimplente. Em alguns casos, caso isso seja contratado no plano, é possível estender a cobertura aos pagamentos do condomínio, IPTU, água, luz e gás canalizado, e até mesmo a danos ao imóvel e multas por rescisão contratual.

A contratação do seguro requer a apresentação de uma série de documentos exigidos pela seguradora. Em termos de custos, em geral, o valor anual do seguro (que, como foi dito, pode ser pago de forma parcelada) corresponde a pouco mais que o valor de uma mensalidade do aluguel.


Créditos: Blog Provectum
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários: